sábado, 11 de outubro de 2008

Matemática e escola-lazer


Matemática, antes do Magalhães
“Mais de 50 por cento dos licenciados em engenharia chumbam no próprio exame da Ordem, que é obrigatório para o exercício da profissão. Quem o diz é o bastonário da Ordem dos Engenheiros.
«O problema não está no ensino superior, este é já uma consequência de um tipo de ensino de facilidades de escola-lazer do ensino básico e do ensino secundário. Enquanto não resolvermos esse problema dos 36 por cento de pessoas que saem do ensino secundário sem o completar, enquanto não mudarmos esse modelo de escola, a universidade acaba por estar refém da matéria-prima que chega», afirmou Fernando Santo.”
Oiça-o, aqui.
___
Depois disto só me resta desejar: Boa sorte! Melhor sorte...

1 comentário:

VascoGama disse...

Esse é o típico discurso desculpabilizador. Os alunos andam 5 anos no superior mas nesses 5 anos não aprendem nada. Ora, como os exames de acesso à ordem são feitos apenas por alunos de cursos não acreditados pela Ordem dos Engenheiros, o problema não estará no ensino superior?
E não é um pouco estranho dizer que no básico e secundário só há facilidades quando tanta gente reprova? Se a nossa taxa de reprovação é a maior da Europa só há facilidades? Esse discurso não pega.