sábado, 31 de maio de 2008

Gerir a História (3)

Olhando à nossa volta é elucidativo a forma como o património ambiental e edificado do concelho de Seixal tem sido tratado. Houve uma escolha cirúgica de património* a preservar, de tudo o resto se tem feito tábua rasa: as matas e florestas são substituídas por casas (o exemplo mais recente, é o da Verdizela); o estaleiro da Fidalga foi irremediavelmente destruído sem que fossem tomadas medidas de salvaguarda do eventual património arqueológico; os moinhos de maré estão em ruínas (excepção feita ao de Corroios cujas obras se arrastam no tempo, para ser convenientemente reaberto em ano de eleições??); o Gaivota apodrece há anos no estaleiro; e as frentes ribeirinhas com os seus edifícios históricos que se degradam ano após ano submersos pela malha urbana...



“-Conheço este prédio – disse Winston por fim. – Está em ruínas agora. Ficou no meio da rua do Palácio da Justiça.

[…]

Winston indagou vagamente de si mesmo a que século pertenceria a igreja. Era sempre difícil determinar a idade de um prédio londrino. Tudo quanto fosse grande e importante e de aparência nova era automaticamente declarado pós-revolucionário, enquanto que tudo o mais comprovadamente antigo era atribuído a um período obscuro denominado Idade Média. Afirmava-se que séculos e séculos de capitalismo não haviam produzido nada de valor. Da arquitectura não se podia aprender mais história do que dos livros. Ruas, pedras comemorativas, estátuas, nomes de ruas – tudo quanto pudesse lançar luz sobre o passado fora sistematicamente alterado.”

George Orwell, 1984

_______________

* sobre este assunto, ver aqui e aqui.


sexta-feira, 30 de maio de 2008

Reviver o passado? (2)




Nas noites loucas de Moscovo a ópera Pervomaika (1º de Maio), permite aos noctívagos um regresso a passado cheio de glamour e sem os Gulags, as filas, as burocracias, e a escassez de produtos básicos característicos do socialismo real. Mas, apesar das foices esta versão renovadora do país dos sovietes tem mais a ver com a vodka do que com Lenin tratando-se de uma das atracções da movimentada e exuberante noite dos novos ricos moscovitas.

Aqui está outra forma de “recontar” a história adaptando memórias, numa altura em que na Rússia se volta a falar de dissidentes políticos, de pressão sobre os jornalistas, de violência étnica e de medidas para controlar as organizações não-governamentais (veja-se, este relatório da AI).

A crise do petróleo chegou ao Oz

in, Times

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Mapas estranhos (2)

Mapa da Europa em 1870, o ano da Guerra Franco-Prussiana. Guerra que transformaria a Europa levando uma supremacia alemã e à derrota da França.
Portugal, um pequeno soldado quase esmagado pela pesada Espanha.

Curiosa também a imagem que transparece de Portugal, o jovem anichado neste outro mapa sério-cómico de 1877, em que a Rússia assume a forma de um polvo gigante.

Ou, ainda neste, “A Ásia no Mundo”, publicado no Japão, em 1914 e, onde Portugal não passa de um cachorrito...

Terramoto na China - um mal nunca vem só!

Em cima, uma imagem datada de Maio de 2006 que mostra a região em condições normais. Duas pequenas vilas ladeiam o rio. As localidades estão ligadas por estradas marginais que convergem para uma ponte.

Em 15 de Maio de 2008, três dias depois do terramoto, as estradas e a ponte desapareceram sob a água lamacenta. Algumas zonas das aldeias estão acima da linha de água. Veêm-se os topos das árvores e uma espécie de pequenas ilhas, assiste-se à formação de um lago.

19 de Maio de 2008, a água tinha subido o suficiente para submergir ambas as aldeias e as estradas. Os destroços flutuam na superfície das águas formando uma barreira.

Estas barragens que se formaram naturalmente após o terramoto de Sichuan estão a constituir uma verdadeira dor de cabeça para as autoridades chinesas. A cada novo tremor de terra segue-se o perigo da barreira romper deixando passar a água em cascata… A preocupação é grande pois existem dezenas de lagos o maior dos quais, o lago de Tangjiashan, tem mais de 700m de profundidade (o equivalente a 130 milhões de m3 de água) e caso a libertação de água não seja controlada a devastação da área será total...

terça-feira, 27 de maio de 2008

O drama da seca

A imagem, do antes e do depois, é a melhor ilustração da seca na vizinha Espanha. Construída no séc. XI, encontrava-se submersa desde há centenas de anos. A seca tornou-a na mais "recente" atracção turística da região.

A Espanha está a viver a pior seca dos últimos 70 anos. A bacia do Mediterrâneo está a aquecer e a secar. E neste processo Barcelona está a mostrar-nos o que pode acontecer a uma cidade moderna … sem água. O fornecimento de água à cidade de Barcelona depende agora de um navio procedente de Marselha mas, a distribuição de água é disputada por outras localidades numa amostra do que poderão vir a ser as futuras guerras pela água.

As alterações climáticas, o desperdício de água na agricultura, os aldeamentos turísticos e suas piscinas os campos de golfe tudo tem contribuído para agravar o problema da desertificação no litoral sul de Espanha.

Para a maioria dos catalães a água é, hoje, o problema número um. Por isso, estão entre os europeus que mais poupam água mas, isso, não é suficiente.

E nós por cá? A impermeabilização dos solos continua a bom ritmo. Crescem cidades onde antes eram florestas. Piscinas, campos de golfe … Isto para já não falar da contaminação da água … enfim, as alterações climáticas irão constituir para a Península Ibérica um sério desafio para o qual nos teremos de preparar. Para onde nos levará o modelo de desenvolvimento que adoptámos? Não seria tempo de pensar no futuro?

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Violência no país do Arco-íris

Moçambicanos de regresso a casa

Grupos de populares armados de paus, facas e pistolas têm semeado o pânico entre os imigrantes pobres na África do Sul, levando a que cerca de 35 000 pessoas se refugiassem nas esquadras da polícia e em igrejas únicos lugares onde se sentem seguras. Muitos voltaram já aos seus países de origem. É o caso dos mais de 20 000 moçambicanos que preferiram voltar à pobreza da terra natal a enfrentar a morte na África do Sul.Mas outros, não têm para onde fugir. Os milhares de zimbabueanos ao fugirem do seu país, fugiram da fome e das perseguições políticas. Estão, agora, encurralados entre duas mortes.

O desemprego de 30% a 40% da população activa, a alta dos preços dos alimentos e, o desespero de muitos sul-africanos levou a que estes se voltassem contra os cerca de 5 milhões de clandestinos vindos dos países limítrofes cujo trabalho “barato” fez baixar os salários e os converteu em bodes expiatórios fáceis.

Um dos grandes culpados por esta situação é o presidente Thabo Mbeki pois, nos últimos anos a África do Sul conheceu um desenvolvimento económico significativo que apenas beneficiou uma minoria e, por outro lado, a sua política complacente para com Robert Mugabe leva a que agora, mais de um milhão de zimbabueanos não tenha para onde fugir e seja obrigada a permanecer num país onde a palavra de ordem passou a ser: “Morte aos amakwerekwere” (aqueles que não falam zulu).

Acontecimentos como estes não são, sequer, novidade na história da África do Sul. Cenas de violência em tudo semelhantes aconteciam nos tempos do aparthaid instigadas por dirigentes do ANC e, continuam a fazer parte da prática de um dia a dia dominado pela violência extrema. Aliás, durante as perseguições nos bairros de latas são entoados cânticos como o “uMshini Wam” ( traz-me a metralhadora) que teve a sua origem nas palavras do dirigente do ANC Jacob Zuma. E é por tudo isto, que a promessa de tornar a África do Sul num país arco-íris, um país capaz que assegurava “uma vida melhor para todos” independentemente da sua origem, está a revelar-se um fiasco.

Marte

Imagem de Marte enviada pela Phoenix.

Saber mais...

domingo, 25 de maio de 2008

It's a bird!... It's a flying ....

Kasparov é um antigo campeão de xadrez que actualmente se consagra à política. Ele tornou-se no mais conhecido opositor a Vladimir Putin, encabeçando a Frente Civil Unida e, formando uma espécie de coligação que dá pelo nome de A Outra Russia.

As imagens são de uma conferência de imprensa durante a qual o insólito aconteceu…

Se a moda destas manobras de diversão pega…

sábado, 24 de maio de 2008

Ligações Perigosas

Mark Gonsalves, lusodescendente prisioneiro das FARC

O jornal, Der Spiegel publica um interessante artigo sobre os contactos europeus das FARC – o grupo guerrilheiro colombiano que se notabilizou por efectuar ataques bombistas e por manter em cativeiro algums centenas de prisioneiros – entre os quais Ingrid Bettancourt - e que tem feito da indústria do rapto e do narcotráfico (saber mais) as suas fontes de receita.

De acordo com esta notícia o comandante Raul Reyes, morto em Março passado, na fronteira com o Equador, teria consigo um computador cuja análise se tem revelado muito interessante: com base nesses dados a Colombia acusou já a Venezuela financiar a guerrilha, e prepara-se para acusar alguns polítios e jornalistas venezuelanos e equatorianos por manterem ligações às FARC. Agora, é o relacionamento com a esquerda alemã que está em causa. Os dados indicam que o filho de Raul Reyes, Ariel Robespierre Devia aliás, “Roberto”, esteve em Berlim em 2005 tendo-se encontrado nessa altura com o representantes do Partido Comunista Alemão e comWolfgang Gehrcke, membro do PDS (Partido doSocialismo Democrático, o herdeiro do antigo partido comunista da RDA). Os e-mails trocados com Gehrcke indicam que o PDS poderia apoiar uma iniciativa que retirasse as FARC da lista de organizações terroristas na União Europeia (circulou um documento nesse sentido em 2007 no parlamento europeu).

Não posso deixar de reflectir, mais uma vez, sobre a presença assídua das FARC na festa do Avante, e sobre o documento assinado pelo PCP e publicado no seu site nas vésperas da Cimeira de Lima (não encontrei versão portuguesa do mesmo) no qual se afirma sobre a União Europeia:

"The objectives of the European Union have nothing to do with combating poverty and social inequalities, or with promoting the environment – benevolent policies as they claim. It seeks to open up the economies of these countries to exploitation, demanding the privatisation of state industries and natural resources, even water, for the benefit of the monopoly capital. It is an illusion to see it as a counterweight to the United States, in favour of the peoples: on the contrary, it has the same imperialist and neo-colonial goals"[...]

...e sobre as FARC:

We demand that FARC-EP and ELN be recognised as combatants and immediately removed from the EU list of "terrorist organisations"; this list itself should be abolished as an obstacle to the peaceful resolution of conflicts;” ...

Desta forma mais uma vez o PCP - e demais partidos comunistas - pretende branquear a realidade da guerrilha atribuindo-lhe "boas intenções" e esquecendo que de "boas intenções está o inferno cheio". Mas pelo que se vê estas vindas à "Festa" poderão ter permitido não só a presença de elementos da guerrilha como as actividades de lobby ...

Sobre o mito das FARC no PCP

Sobre a história da violência na Colômbia

Foi anunciado ontem que Manuel Marulanda Vélez 'Tirofijo', o comandante das FARC morreu. Veja a notícia no El Tiempo (Colômbia).


Do Homem de Vetrúvio aos nossos dias

In, Time

Comemora-se, hoje, o Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade.

No passado, "gordura era formosura" mas, nos dias de hoje nas sociedades ditas desenvolvidas a obesidade é cada vez mais um sério problema de saúde pública. Em Portugal, existem cerca de quatro milhões de pessoas têm excesso de peso, dos quais aproximadamente um milhão são obesos declarados e cerca de 380 mil são super-obesos.
A Organização Mundial de Saúde reconhece a obesidade como problema de saúde pública e apresenta-a como um dos dez factores de risco para a saúde global.

O Abismo

(Humoral da História, in Expresso)

Estas são algumas das conclusões do mais recente relatório do Eurostat sobre as desigualdades sociais na EU:

"A sociedade portuguesa tem, face a 24 parceiros europeus, a maior desigualdade de rendimentos.[…]

Portugal surge, neste relatório, com um perfil muito distanciado dos países nórdicos.[…]

[Em 2004] Portugal tinha 4% do total (100 000) dos pobres da UE (os que vivem com menos de 60% do rendimento médio).

A educação e a formação como saída do caminho da pobreza é um dos pontos que o relatório refere. Só Malta supera Portugal na taxa de população que não frequenta qualquer grau de ensino entre os 18 e os 24. Ainda que provisórios, os números nacionais para 2007 indicam 36,3 (menos três pontos que no ano anterior). A média dos 25 era, no ano passado, de 14,5. […]"

Ler artigo de Eduarda Ferreira no JN .

O relatório pode ser consultado na íntegra, aqui.

No Ritz...

Dois líderes. Uma música conhecida. Dança!

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Finalmente um culpado!

Afinal a culpa da subida do preço dos combustíveis é do … demónio.

Foto exclusiva do suspeito

Ficámos todos muito mais descansados com as esclarecidas palavras do Ministro Manuel Pinho, segundo o qual “não há nenhuma explicação racional para [a subida d]o preço do barril”, por isso, Portugal «tem de se livrar do demónio». E tem lógica. Não é o preço do dólar, nem a especulação, nem a instabilidade em alguns países produtores, nem o imposto sobre os combustíveis...
Aliás, o inferno deve ser um dos maiores consumidores mundiais de petróleo pois, só há uma maneira de manter o fogo do inferno na sua cálida temperatura e, ninguém está a imaginar um inferno aquecido a energias renováveis, pois não?
Chamem o exorcista!!

Ver notícia do Sol.

Disclaimer: qualquer semelhança do suspeito com um membro do conselho de administração de uma empresa petrolífera é mera coincidência.

Arquitectura esdrúxula (5)


Ora, aqui está a uma casa verdadeiramente ecológica... um autêntico ninho!

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Índice Global da Paz - 2008


Foi divulgado, ontem, o Global Peace Index. Portugal obteve um honroso 7.º lugar neste ranking . Merece a pena atentar também, nos indicadores que permitiram semelhante resultado que parece algo desfasado da percepção de insegurança crescente que se tem insinuado no quotidiano dos cidadãos. O facto é, que Portugal subiu 3 lugares neste ranking em um só ano.
Não deixa de ser curioso verificar que a Inglaterra ocupa o 49º lugar, seguido de Moçambique (50.º). O Iraque ( 140.º) é o último classificado do ranking.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Crónica de uma morte ... anunciada?

Notícia Correio da Manhã [15/05/2008]:

"Seixal: Homem electrocutado

O corpo de um homem foi encontrado ontem junto a uma caixa de distribuição de electricidade, no Fogueteiro, Seixal. O indivíduo terá morrido anteontem, alegadamente ao tentar furtar fios de cobre da caixa, que não tinha porta. O cadáver encontrava-se junto ao edifício de oficinas da Câmara Municipal desactivadas.”

... depois do que se escreveu na blogosfera e, de tudo o que foi dito na Assembleia Municipal sobre o abandono a que foram votadas as antigas instalações das oficinas da câmara, nem faço comentários...

Saber mais ...

As Três Gargantas culpadas …

Os sismos fazem parte integrante da história da Terra desde tempos imemoriais. Até há pouco eram fenómenos inteiramente naturais mas, as alterações provocadas pelo “progresso” humano poderão estar a influir no delicado equilíbrio das placas tectónicas que estão na sua origem .

E se o recente terramoto na China, for uma consequência da gigantesca barragem das Três Gargantas, que está a ser construída no rio Yangtze?


Quando estiver terminada em 2009 a barragem será o maior complexo hidroeléctrico do mundo. Os críticos apontam o facto de esta barragem estar localizada sobre uma zona sísmica. De acordo com um artigo da Scientific American, publicado a 25 de Março, esta barragem está a ser construída sobre duas grandes falhas: Jiuwanxi e Zigui–Badong.

Alguns especialistas receavam que o peso excessivo das águas provocasse alterações nas falhas o que intensificaria a sua actividade e poderia provocar sismos. De resto, outros projectos hidroeléctricos na China podem já ter causado pelo menos 19 sismos nos últimos 50 anos. Os relatórios da Academia Chinesa de Engenharia, da autoria de Li Wangping, registavam 822 tremores de terra entre Setembro 2006 e Abril 2007, ou seja, logo que os reservatórios da barragem se começaram a encher…

Esperava-se que esta barragem atingisse a sua capacidade máxima em 2009 devendo, então, atingir cerca de 180 metros. O aumento crescente da pressão da água e o seu movimento poderá fazer agravar os riscos sísmicos. Agora, depois da tragédia que se abateu sobre Sichuan e dos receios sobre a estabilidade de partes da obra seria imperdoável não averiguar as suas reais implicações.

…pelo terramoto na China?

terça-feira, 20 de maio de 2008

Estatísticas, um mundo de sombras

“As estatísticas eram tão fantásticas na versão original como na rectificada. Com efeito, era função do pessoal inventar estatísticas, tirando-as de si próprio. Por exemplo, o cálculo do Ministério da Fartura [Economia] prevendo a produção trimestral de calçado num total de 145 milhões de pares. A produção real, dizia-se, fora de 62 milhões. […] Com toda a probabilidade não tinham fabricado calçado algum. Ou, mais certo ainda, ninguém fazia a menor ideia de quanto calçado tinha sido produzido; nem ninguém se importava. […] Tudo se misturava e confundia num mundo de sombras no qual, por fim, até a data do ano se tornava incerta.”

Orwell, 1984


"Os dados do Eurostat revelam que o investimento estrangeiro em Portugal caíu para 54% no ano passado.Uma quebra que contraria a tendência de outros países europeus.
Manuel Pinho diz, no entanto, que à excepção do sector imobiliário, o investimento está a aumentar mas o Ministro adianta que Portugal tem um longo caminho a percorrer."
Rádio Clube

Os números do nosso descontentamento, aqui.

segunda-feira, 19 de maio de 2008

Por uma imagem se ganha, por ... (3)


Interessante esta coincidência entre Hillary e Mao, não é?


E esta?

É impressão minha ou, sente-se um cheirinho de "culto da personalidade" nestes posters? Um "não sei quê" entre Warhol e o realismo socialista?...

Saber mais ...

Turismo, Saúde e Dólares

O turismo de saúde está na moda, e na ordem do dia. As cirurgias oftalmológicas executadas do lado de lá do Atlântico, na mítica Cuba representam a última esperança de cura para muitos portugueses condenados a uma lista de espera para uma simples intervenção às cataratas…

Vários países estão a promover a medicina (India, Malásia, Tailândia, Cuba, Venezuela, China…) como parte do sector turístico. Os governos esperam assim, conseguir expandir este novo tipo de oferta turística: vender a estrangeiros a ideia de viajar para destinos exóticos em voos baratos para receber tratamento adequado ao seu caso evitando listas de espera ou, conseguindo que o tratamento seja acessível ao seu seguro de saúde… A oferta existente é diversificada: cardiologia, cirurgia plástica, ortopedia, estomatologia , transplantes…

A Índia, é um dos pioneiros nesta área procurando arvorar-se como um destino global para o “turismo de saúde”… O turismo médicinal, representa uma importante fonte de receitas para os países promotores ao mesmo tempo que para a Europa, o Canadá, os Estados Unidos , cuja população tem vindo a envelhecer e cujas despesas de saúde são galopantes, são uma oportunidade de manter despesas e listas de espera controladas. A ideia é vender serviços (aparentemente) de primeira qualidade, a preços do terceiro mundo, isto é, baratos.

E é mesmo no dinheiro que está a alma deste negócio. Aproveitando uma mão-de-obra extremamente barata e habituada a horários de trabalho mais alargados o preço dos cuidados de saúde é muito competitivo se comparado com os serviços prestados nos países de origem dos doentes. Um médico cubano ganhará cerca de 40 dólares/mês, logo…

Acontece, porém que na maior parte destes países existem limitações no acesso à saúde para uma parte significativa dos cidadãos nacionais mas, para os turistas pode-se dizer que os dólares pagam tudo instalações hospitalares-hotelaria, pessoal médico e de enfermagem, medicamentos e outros luxos. Um país dois sistemas de saúde. Países como Cuba fizeram da medicina parte da sua imagem de marca e dedicam igual cuidado à exportação de médicos para países do terceiro mundo … ou mesmo, Portugal . Admite-se que cerca de 30% dos médicos e enfermeiros cubanos estejam a prestar assistência fora do país assegurando assim, alguns milhões de dólares às parcas finanças cubanas. Mas os nacionais não têm acesso ao mesmo tipo de cuidados de saúde a menos que pertençam à elite, como se pode constatar nestas imagens:

sábado, 17 de maio de 2008

Epidemia de extinções

Há um número sem precedentes de espécies em vias de extinção. As actividades humanas tiveram um impacto tremendo na biodiversidade. Estima-se que o ritmo a que as espécies se estão a extinguir seja 10 000 vezes superior ao normal:alterações climáticas, poluição, destruição de habitats, introdução de espécies “importadas”, exploração de determinadas espécies.

Os impactos de uma redução da biodiversidade são muito grandes. Todos ficaremos a perder: menos substâncias a partir das quais fabricar medicamentos; maior vulnerabilidade às catástrofes naturais; aumento do impacto do aquecimento global…

Na Europa industrializada e urbanizada grande parte da biodiversidade já se perdeu mas, continuamos a não proteger e a destruir os poucos ecossistemas inalterados que ainda nos restam, hipotecando o futuro em nome de um presente rentável.


Em Portugal, a situação é particularmente preocupante no litoral onde se concentra a maior parte da população. A pressão demográfica, as obras públicas as industrias poluentes têm contribuídos para o desaparecimento de muitas espécies animais e vegetais. O mais preocupante é que apesar do discurso ecologicamente correcto se prossegue a bom ritmo a destruição da paisagem e dos ecossistemas. E se algum exemplo fosse necessário poderíamos sempre lembrar o que está a acontecer na Verdizela ....


sexta-feira, 16 de maio de 2008

Terramoto na China

O terramoto que sacudiu a China na passada segunda feira, destruindo cidades e aldeias, abrindo brechas em barragens, derrubando pontes de inutilizando estradas gerou uma onda de solidariedade que fez esbater a onda de críticas.

Curiosamente, a região afectada é precisamente aquela que foi fechada à imprensa `cerca de dois meses devido aos protestos da minoria tibetana. Nessa altura, Pequim reprimiu os protestos e fecho a região ao mundo…

Agora, as autoridades chinesas e, em particular, o seu primeiro-ministro desdobram-se em contactos com a população ao mesmo tempo que permitem à imprensa internacional fazer informação a partir dos locais mais afectados.

A China, parece estar a tentar tirar partido desta catástrofe para aliviar as pressões internacionais que se faziam sentir em vésperas dos Jogos Olímpicos. A cadeia de supermercados Carrefour, que após os incidentes ocorridos na ocasião da passagem da chama olímpica por Paris tinham sido alvo de manifestações de desagrado e até de boicotes foi agora destacada na imprensa chinesa pela sua participação nas acções de auxílio às vítimas. Assiste-se, assim, a um apaziguamento das tensões mediáticas. Até, a maior discrição a que estará obrigada a chama olímpica, em virtude do luto poderá também gerar uma maior tranquilidade na sua passagem.

As estações de televisão chinesas cobrem os acontecimentos 24/24h. Repórteres no local dão conta das operações de resgate. As informações sobre a amplitude da destruição, o número de mortos, feridos e miraculados (só por milagre se sobrevive debaixo dos escombros durante horas) é permanentemente actualizada. Algumas regiões estão ainda isoladas e a julgar pelo grau de destruição de algumas (a cidade de Weichuan) o número de mortos deverá ultrapassar os já admitidos 50 000.

Os chineses, em contraste com as autoridades birmanesas à pediram auxílio internacional. Precisam de cães, de material de pesquisa acústico, de câmaras telecomandadas. Depois, de num primeiro momento, terem recusado este auxílio têm já no terreno equipas japonesas aguardando-se a chegada de outros socorristas.

O primeiro-ministro Wen Jiaobao está por todo o lado, no meio do entulho em que se transformaram as cidades e vilas da província de Sichuan , numa campanha mediática consolando viúvas, beijando criancinhas, apresentando-se como “o avô”.

Mas, há questões a que não se poderá fugir. Edifícios modernos colapsaram como castelos de cartas. As maiorias das vítimas são crianças que morreram sob os escombros das suas salas de aula. O que parece evidente é, que o boom na construção civil não foi acompanhado, pelo menos nas zonas rurais, por requisitos de segurança numa zona sísmica. O resultado está à vista. De resto, estas críticas fazem-se já sentir nos muito frequentados blogs chineses: “Porque caiaram as escolas se todos os edifícios governamentais ficaram de pé? Isto é ultrajante!” é a pergunta que se faz (as normas de segurança são diferentes de acordo com a utilização dos edifícios, sendo que as escolas e apartamentos têm o nível menos elevado).

Estaremos, nós, melhor preparados que os chineses? Estará a Protecção Civil preparada para responder adequadamente a este risco? Em que medida os edifícios cumprem os de requisitos de segurança?

O terramoto em Sichuan , teve uma magnitude de 7,9 na escala de Richter. O terramoto de 1755, terá atingido os 9 graus da mesma escala e foi seguido por um terrível maremoto que varreu e engoliu o litoral até ao Algarve (falar do “terramoto de Lisboa” faz parecer que se limitou a à capital quando, de facto, muitas outras localidades inclusive, Amora e Seixal, registaram importantes danos).

Memory ...


Os assassinos a soldo de Robert Mugabe levaram Memory (Memória), uma jovem mãe, de 22 anos. Levaram-na para o seu quartel. Foi torturada…

Ela encontra-se, agora, no hospital. Esta e esta, são as fotos chocantes do seu corpo após a selvática tortura a que foi submetida.

Memory, é apenas uma das muitas vítimas da violência no Zimbabué depois daquilo que Mugabe chamou de “desastre” eleitoral. Aguarda-se a segunda volta das eleições para 27 de Junho. Até lá, está aberta a caça aos opositores do regime.

Para esta caça ao opositor, Mugabe poderá, agora, contar com as 77 toneladas de armas que acabam de chegar a Harare graças à preciosa ajuda dos "amigos" chineses e sul-africanos, de acordo com esta notícia do Canal de Moçambique.

Saber mais...

Asas de Liberdade (2)

Visite a GALERIA VIRTUAL DA CENSURA sobre

o período da ditadura que vigorou em Portugal entre 1926 e 1974.

A Censura, pretendeu controlar a informação de forma "a “proteger” a ideologia do regime, de maneira aparentemente invisível e estimulando a autocensura.

Tratou-se de uma máquina censória que durou cerca de 48 anos e que se inculcou nos interstícios da sociedade portuguesa."
E é por este "modus actuandi" se ter inculcado "nos interstícios da sociedade portuguesa" que merece a pena conhecer mais sobre o assunto de modo a estar consciente do perigo que representa. É que as tentações de controlar a informação continuam a ser muitas. O ciberespaço permite a um número alargado de cidadãos o acesso à informação e, simultâneamente permite-lhes uma capacidade de intervenção sem precedentes, na medida em que se tornam eles próprios "produtores de informação", esta nova realidade não pode deixar de preocupar o "status quo"...

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Coisas de Espantar!

O blog Verdizela Viva divulga imagens e peripécias da última sessão de Câmara [Municipal do Seixal]. A não perder...

As perguntas e as respostas merecem uma análise mais atempada mas, não se pode deixar de estranhar que a CMS, nesta altura dos acontecimentos, particularmente depois de Domingo possa invocar desconhecimento relativamente ao traçado final de uma estrada a ser implantada no concelho. O abate das árvores na Verdizela (como em outros lugares) pode passar despercebido, mas uma estrada, senhor presidente*!

Finalmente, ter-se-á ainda falado-se de “blogs mentirosos”. Já cá faltava o lápis azul (cor da censura, não do munícipio) … O que realmente se queria dizer é, que se encara com preocupação crescente a existência de informação sobre o concelho que não é condicionável, o que implica que as autoridades camarárias estão a sentir dificuldades para manter a informação controlada. Assim, a crer no Verdizela Viva "...os autores dos mesmos iriam ser acusados judicialmente" mais palavras, para quê?

*Para ser inteiramente justa, porque não haveria o PC (Presidente de Câmara) de ignorar o traçado final de uma estrada, em construção, se o PM (Primeiro Ministro) ignorava a Lei do Tabaco (já em vigor) e, continuava a fumar “um pensativo cigarro” por detrás das cortinas corridas?

Sugestões para fumadores...

O restaurante "Maltermeister Turm", perto de Goslar, fez uns “buracos” para que os clientes pudessem fumar “tecnicamente” no exterior ...

O restaurante Muntagnola, em Berlim, tem uma carrinha para fumadores a …. "Smokeria"

Casino de Nice

... respeitadores da lei.

"... depois do jantar, [José Sócrates, o ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, e outros] membros do gabinete do primeiro-ministro dirigiram-se para a frente do avião com maços de tabaco na mão e referindo o facto de "já se poder fumar". O local escolhido foi a zona de serviço de pessoal de bordo, na parte da frente do avião que dividia a classe executiva - onde seguiam o primeiro-ministro, os ministros e os secretários de Estado - da classe económica. Uma cortina, junto à porta de emergência, escondia os fumadores dos restantes passageiros."

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Reviver o Passado?


Que imagem pretenderam os dirigentes russos transmitir ao celebrar a entrada em funções do novo presidente russo a 9 de Maio, dia da Vitória, com uma imponente parada militar?

Em diversas ocasiões ao longo do seu mandato Putin aproveitou para advertir a Nato e a União Europeia relativamente às opções tomadas nos planos militar e económico procurando, simultaneamente, garantir que as tensões eram algo do passado, da Guerra Fria. A Russia, que pretende ser aceite como um parceiro da União Europeia, e gasta milhões de dólares em suplementos nos mais diversos jornais europeus e americanos, para fazer passar a mensagem de que não constitui ameaça e que constitui um parceiro fiável ...

A Rússia, organiza um desfile militar, com mísseis intercontinentais a serem passeados solenemente pela Praça Vermelha trazendo de volta as lembranças da corrida ao armamento como no tempo da guerra fria. Uma parada militar, com todos os condimentos do antigamente não é inocente. Para além, da exibição para os possíveis interessados (as armas continuam a ser uma oportunidade de negócio muito interessante…), existe também um elemento de intimidação para com todos aqueles que podem ser percebidos como ameaças. E, existe ainda, o desejo de agradar a um largo sector da população saudosista do poderio militar e da supremacia dos russos sobre os povos que aproveitando o desmembramento da URSS se declaram independentes.

Estas contradições revelam um país que ainda não encontrou o rumo certo entre o passado e o futuro, entre uma sociedade fechada e uma sociedade livre, entre uma potência que se afirma pelo tamanho/quantidade dos seus mísseis balísticos e uma sociedade que se afirma pela sua capacidade de criar bem-estar para a generalidade dos seus cidadãos.


terça-feira, 13 de maio de 2008

Um Mundo a Preto e Branco


A chanceler alemã, Ângela Merkel, tornou-se no mais recente alvo de Hugo Chavez depois de no passado domingo, no seu programa de televisão semanal, “Alô Presidente”, ele ter afirmado que Merkel era uma descendente política de Hitler.

Estas afirmações, feitas em vésperas da cimeira entre a Europa e a América Latina (que se realizará no Peru), obrigaram Durão Barroso, na sua qualidade de presidente da Comissão Europeia a uma defesa da chanceler alemã. Durão Barroso, veio dizer que “os discursos inflamatórios, populistas e agressivos” do presidente Chavez não contribuem para o esforço de cooperação entre a EU e a América Latina.

Ângela Merkel, terá provocado a ira do presidente venezuelano quando disse que “O Presidente Chavez não fala pela América Latina. Cada Estado tem a sua própria voz e os seus interesses.” A longo prazo, referiu ela, a Venezuela não poderá impedir uma aproximação entre a EU e a América Latina.

Por um lado, vindas de quem vêm estas polémicas afirmações não representam um choque antes fazem parte de um padrão bem estabelecido e, como tal, têm sido desvalorizadas pela imprensa e pelas autoridades alemãs mas, podem ser um entrave para a cooperação entre as duas regiões. Muitas pesssoas, em Caracas, La Paz, Lima, Brasília prefeririam cooperar com Madrid, Lisboa, Paris ou Berlim, a fazê-lo com Wasshington.

Se não fosse esta lamentável sede de protagonismo do presidente Venezuelano, poder-se-ia discutir de que modo o as políticas económicas neo-liberais arrastaram para a pobreza milhões de pessoas nas últimas décadas e, de que forma a intervenção do Estado poderia regular uma melhor distribuição de riqueza assegurando-lhes a qualidade de vida (começando pelos mais direitos básicos) que efectivamente, não têm.

_________________

Enquanto isto, José Sócrates partiu para a Venezuela em visita oficial acompanhado por 80 empresários de diversos sectores. Saber mais...


segunda-feira, 12 de maio de 2008

Barco quinhentista descoberto na Namíbia

Moedas de ouro, de 10 cruzados, D. João III

Foi descoberto, no mês passado, ao largo da Namíbia um navio, presumivelmente, português da época dos descobrimentos tratando-se da maior descoberta sub-aquática (arqueológica) do sul da África.

Esta descoberta feita pela De Beers, no âmbito da pesquisa submarina de diamantes está a emocionar todos os que se interessam por arqueologia submarina. É que, para além, das muitas moedas de prata e ouro (aquelas que se encontram na figura) existem igualmente outras preciosidades como instrumentos náuticos (entre os quais dois astrolábios maravilhosamente conservados) e, a possibilidade de aprender mais sobre os próprios barcos da carreira da Índia.

As primeiras notícias referem que se trataria da caravela de Bartolomeu Dias (perdida durante a viagem de 1500 sob o comando de Pedro Alvares Cabral) mas, estas moedas foram identificadas por um especialista como posteriores a 1525, pelo que essa hipótese não passará disso mesmo...

Trata-se de uma descoberta que tem merecido atenções por todo o mundo. A prová-lo estão os artigos que lhe foram consagrados pelo Bloomberg, CNN, The Times e também no Diário de Notícias. A descoberta está igualmente a ser acompanhada pelas autoridades portuguesas segundo refere o Namibian News, de 12 de Maio.
_______
Actualização [29 de Setembro 2008]: Barco quinhentista descoberto na Namíbia [2]

Destruição na Verdizela, pela calada...



De mansinho, procurando o facto consumado decorreu a destruição de mais uma área classificada como Rede Natura.
A Rede Natura 2000 é, uma rede de áreas designadas para conservar os habitats e as espécies selvagens raras, ameaçadas ou vulneráveis dentro do espaço comunitário. Mas, nada disso interessa quando se trata de projectos de grande envergadura (148.834m2; 30 000 novos habitantes, comércio...!). Aliás, os espécimes humanos também não contam muito quando se pensa fazer passar uma estrada a cerca de um metro de habitações já implementadas no terreno...
Para acompanhar este processo surgiu um novo blog local o Verdizela Viva.

O projecto da Urbanização do Pinhal das Freiras pode ser visto aqui (escolher 2003-2006).

domingo, 11 de maio de 2008

A "Árdua Marcha" da Fome na Coreia do Norte

Os Norte Coreanos estão a morrer à fome devido à falta de abastecimento nas regiões rurais e à escassez generalizada de cereais e outros alimentos.

A situação já não é nova mas, agravou-se, este ano podendo mesmo estender-se às cidades onde deixaram de ser distribuídos senhas de racionamento. A situação é pelo menos tão grave como em meados dos anos 90, altura em que terão morrido de fome cerca de dois milhões de pessoas. Desde os anos 90 que a Coreia do Norte precisa de auxílio para alimentar os seus 23 milhões de habitantes. O Programa Alimentar Mundial, estima em seis milhões e meio o número de pessoas que serão afectadas por mais esta profunda crise alimentar.

A crise alimentar do país agravou-se este ano devido a um mau ano agrícola e às cheias. Também aqui as organizações internacionais se debatem com a teimosia criminosa das autoridades que recusam aceitar ajuda internacional por motivos políticos.

De salientar que, no passado dezenas de milhares de pessoas procuraram escapar à morte pela fome atravessando a fronteira fluvial com a China arriscando-se ao afogamento ou à repatriação pelas autoridades chinesas que em ano de Olimpíadas não querem mais problemas (há notícia da execução de 13 mulheres e dois homens por tentativa de fuga para a China, em Fevereiro). Assim, a China poderia estar disposta a ajudar mas, exige a devolução dos 1800 vagões que desapareceram em operações semelhantes…

O regime chamou à fome que assolou o país nos anos 90 de "Árdua Marcha" do povo coreano para um socialismo invencível, agora, de novo, são chamados a marchar sob o comando de Kim...

Ver The Economist

sábado, 10 de maio de 2008

Alternância democrática?

Não!
Trata-se antes de uma questão de "ter ou não ter cabelo". Diz a tradição popular que na Rússia depois de um governante calvo vem sempre um governante "com cabelo"...
A ideia foi desenvolvida por um anónimo (e prudente) caricaturista russo com este resultado:



“O cómico Geldof e a falsa notícia”

Este é o título do artigo do Jornal de Angola que dá conta das declarações de Bob Geldof, na conferência realizada esta semana em Lisboa, por iniciativa do BES e do Jornal Expresso.

Angola tem a triste sina de aturar todo o tipo de aventureiros, desde mercenários, que em 1975 invadiram o país, até briosos rapazes e raparigas que a coberto de organizações não governamentais ou da caridade barata nos entram pelas portas dentro.”, lê-se neste artigo que acusa igualmente Geldorf de ser bêbado, ignorante e malcriado : “Embalado nos seus vómitos, o comediante britânico ousou insultar os angolanos, afirmando perante os convidados que “Angola é gerida por criminosos”’. O Jornal de Angola termina com uma ameaça velada: “Pelos vistos o BES tem que ver quem convida para falar de desenvolvimento sustentado. É que lhe pode aparecer alguém a injuriar governantes estrangeiros.”

Sobre este artigo e, sobre modo como está escrito nada acrescentarei pois, as palavras falam por si, mostrando à saciedade a forma como o nacionalismo pode ser empolado para justificar o autoritarismo e a falta de liberdade de expressão.

O que Geldof afirmou não é surpresa para ninguém. Bob Geldof, limitou-se a gritar em público:

“- O rei vai nu!”

As afirmações de Geldof caíram mal nos cleptocratas angolanos: a comparação entre o custo das casas em Luanda e em Chelsea e Park Lane nos arredores de Londres. E, se os angolanos têm razão ao afirmar que essas casas foram construídas por privados logo, as autoridades não podem controlar os preços, também é verdade que, um funcionário da Imogestin, companhia que gere o programa governamental de habitação social, afirmou à AFP, que algumas das habitações sociais a preços controlados podiam custar 180,000 (US Dolares), o que vai muito para além das possibilidades da maioria dos angolanos...

O discurso de Geldof suscitou dois tipos de reacções: o incómodo dos organizadores e o entusiasmo dos que pretendem ver discutidas as razões que levam um dos países mais ricos de África a ter dos mais altos índices de pobreza..

Em Portugal existe um silêncio comprometido pelo complexo de ter sido o país colonizador e, pela forma desastrosa como se procedeu à descolonização. A isto, juntam-se os interesses económicos: as exportações portuguesas para Angola subiram de 1,06 biliões de dólares em 2004 para, 2,52 biliões de dólares em 2007, esperando-se um crescimento de 30% para este ano. Por isso também, o BES apressou-se a retratar-se. Outros grandes investidores sentiram concerteza a pressão destas declarações pois, Angola tem usado a economia para manter as bocas caladas e os olhos fechados perante as gritantes evidências de desigualdades extremas num dos países potencialmente mais ricos de África: Soares da Costa, Mota-Engil SGPS and Teixeira Duarte Banco Português de Investimento (BPI), Banco de Fomento de Angola (BFA), Caixa Geral de Depósitos (CGD) , Banco Comercial Portugués (BCP) todos estão dependentes do governo angolano para os seus negócios, todos querem as suas boas-graças.
O silêncio é de petróleo e diamantes feito...

_______
Sobre Eduardo dos Santos e os "Bobs", ver aqui ...
Opinião de Mário Crespo no JN de 19/05/2008.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Birmânia, os rios do Inferno

:
O ciclone Nargis devastou Burma/Birmânia. Ventos forte e chuvas intensas terão causado, no imediato, cerca de 100 000 mortos, mais de 40 000 desaparecidos, e entre 1 a 5 000 000 de desalojados. A impossibilidade de as agências humanitárias prestarem auxílio às vítimas (devido aos entraves colocados pela Junta Militar receosa de que esta abertura ao exterior leve a uma rebelião), poderá fazer com que esta catástrofe humana atinja proporções ainda mais aterradoras do que o maremoto que varreu o oceano Índico no Natal de 2004.
:

Imagens de Satélite difundidas pela Nasa mostram claramente a dimensão dos danos em áreas densamente povoadas (cidades cuja população oscila entre os 100 00 e os 500 000 habitantes) e, onde as cheias e a lama põem, também, em perigo a agricultura (aumentando as preocupações relativas a uma escassez global de arroz, pois uma das zonas mais afectadas pelo Nargis foi o delta do rio Irawadi conhecido como "a tijela de arroz" da Ásia).

Sobre Burma abateu-se o Inferno:

Um regime militar insensível a tudo o que não sejam os seus interesses de perpetuação no poder e, um ciclone que obriga a população a viver lado a lado com a morte: doenças; fome; carência de água potável e de medicamentos … até, as víboras estão a dar a sua contribuição para o cenário dantesco.

________

O nome “Burma” deriva do origem indiano “Barma” que foi utilizado pelos portugueses no séc. XVI e XVII para designar esta região - Birmânia. Posteriormente, os ingleses adoptaram a designação “Burma”. Myanmar é oficialmente o nome deste país asiático mas, esta designação não escapa à controvérsia, uma vez que é a preferida pela Junta Miltar (trata-se de um nome literário erudito, ao passo que Burma é mais popular/oral).

Salvar o "Gaivotas" do esquecimento


Assine aqui a petição, promovida por Homens livres e leais para com a cultura e identidade ribeirinha para que o Gaivotas se possa fazer de novo ao rio.
O Bote de Fragata "Gaivotas" tem de poder voltar, novamente, a navegar!

Saber mais...

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Destruir a História de Mansinho



A Companhia de Lanifícios de Arrentela instalou a sua unidade fabril em 1862 e teve uma importância económica notória uma vez que proporcionava trabalho a cerca de 500 famílias oriundas da Covilhã, Tortozendo, Gouveia e naturalmente da Arrentela. Esta fábrica deu trabalho a várias gerações de trabalhadores sendo significativo o seu impacto económico na região.

A Companhia de Lanifícios de Arrentela beneficiava das excelentes condições geográficas do local que asseguravam a proximidade a Lisboa (via rio Judeu) e consequentemente a acessibilidade às matérias primas e um eficiente escoamento dos produtos. A água era um dos factores essenciais ao processo de produção e ela existia ali em abundância.

A fábrica foi desactivada nos anos 80 (do séc. XX) e, cerca de 1990, foi sujeita a desmantelamento “procedendo-se, sem a possibilidade de qualquer registo ou documentação, à alienação da sua maquinaria e equipamentos, processo a que não foram poupados a maioria dos imóveis e oficinas, não obstante o seu elevado valor histórico, tecnológico e cultural.”

Assim, a falta de respeito pelo património histórico fez com que imóveis de interesse tivessem desaparecido sem que se pudesse ter concluído o seu estudo e o inventário de conjunto. E tudo isto se fez sem ter suscitado qualquer clamor audível. Sem protestos, de mansinho. O Boletim Ecomuseu Municipal*, de onde retirei estas informações dá conta desta insatisfação mas, com dezasseis anos de atraso nada havia já a fazer. Onde estavam os responsáveis políticos (na área do património e urbanismo) da época que se calaram, encolheram os ombros e, deixaram passar?

Aqui estava um exemplo claro de uma unidade fabril que teria sido possível preservar, cujo interesse para a história local (e do período industrial) era inegável e que uma conjugação vários factores (desinteresse, adiamento da sua classificação, apetites imobiliários) condenou a um estado de quase-morte súbita, inglória e silenciada.

*Boletim Ecomuseu Municipal n.º39, de 2006.

terça-feira, 6 de maio de 2008

O barco parado ...

Leito do Rio Judeu

O que mudou nestes dias de silêncio blogosférico? Tudo ou, nada?

No Zimbabué, entre intimidação e violência os resultados das eleições fizeram-se tardar. A custo os resultados fizeram-se anunciar. Sentiu-se o amargo de boca do velho tirano figura emblemática de um movimento de libertação que reduziu o povo à mais profunda miséria. A uma miséria tão profunda que quebrou as amarras do medo e fez com que muitos votassem pela mudança.

Na antiga Birmânia, um ciclone provocou dezenas de milhares de mortos e desaparecidos, obrigando a Junta Militar a quebrar o isolamento internacional e a reconhecer que era incapaz de responder à dimensão da tragédia. Os optimistas, dirão que talvez a entrada das organizações internacionais e de jornalistas, somada ao descontentamento de quatro longos dias de faz-de-conta-que-está-tudo-sob-controle venha a ter alguma repercussão política dada a fragilização do regime. Os pessismistas, dirão que uma catástrofe destas dimensões na “tigela de arroz” da Ásia só poderá ensombrar ainda mais o cenário de fome anunciado pela crise cerealífera.

Enquanto isto, a China, em véspera de Jogos Olímpicos, recebe os enviados do Dalai Lama para discutir assuntos relacionados com o Tibete (?) ao mesmo tempo que edita uma História do Tibete feita à medida das suas conveniências tentando salvar as aparências. Qual o preço que o "império do Centro" estará disposto a pagar para assegurar o êxito dos Jogos Olímpicos e pelo sua afirmação como potência mundial?

Ingrid Bettancourt continua algures na selva colombiana a despeito das Marchas e dos apelos. A sua sorte ainda não mudou.

O petróleo bate todos os dias novos records de tal forma que qualquer dia a notícia sensacional poderá ser que “não houve record nenhum”.

… e dos subterrâneos austríacos saíram agora mais vítimas de uma história que traz à memória o filme de David Lynch, Blue Velvet ou, de como sob superfície normalizada e banal se podem esconder os crimes mais hediondos.

Em Portugal, a demissão de Menezes foi notícia. Agora, fala-se dos sucessores. Fala-se do seu passado, do seu presente do seu futuro. Espero que por uma vez discutam mais ideias e mais projectos. O país está carente de alternativa a Sócrates, de uma alternativa em que se possa confiar. Este é o tempo certo para apresentar as caras e as novas propostas "porque todo o Mundo é composto de mudança" e porque ao país faz falta o verde da esperança.