quinta-feira, 30 de abril de 2009

A infância perdida



Um juíz saudita conseguiu chegar a acordo para anular o casamento de uma menina de oito anos que tinha sido casada pelo pai (aos 5 anos!) com um homem de 50 , como forma de pagamento de uma dívida.
Anteriormente, o juíz Habib al Habib, recusou-se a anular o casamento, como a mãe da criança pedira, ainda que depois tenha anunciado poderia repensar a decisão. Fê-lo, apenas, para proibir as relações sexuais antes da puberdade pois, de acordo com as autoridades islâmicas estes casamentos são permitidos:



Sobre o mesmo tema: ver aqui e aqui.

Esclarecimento

Não, não se trata da "... mordaça que Vital Moreira pretende pôr aos problemas nacionais...”, no dizer de Paulo Rangel.
Nem de uma medida de prevenção contra a gripe, que já chegou à Holanda... e a Espanha também.
Trata-se das novas tendências da moda. Eis, a proposta do criador de moda Dickie Brown para o próximo outono.
Outras propostas igualmente seguras podem ser vistas aqui...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A vulnerabilidade (2)

... apesar daquilo que aqui escrevi, Deus continua presente.

A vulnerabilidade



O Sétimo Selo - o monge ou, a urgência de encontrar culpados

Os vírus Influenza são imprevisíveis porque se alteram muito rapidamente. A estirpe de gripe aviária que provocou a gripe espanhola, em 1918 passou das aves para o homem e mais tarde para os porcos (e outros animais).
A mutabilidade faz com que até os vírus conhecidos sejam imprevísives. Alguns associam-se até com outros, aumentando assim, ainda mais a sua imprevisibilidade. Depois de mudar de espécie hospedeira a influenza pode tornar-se mais, ou menos virulenta antes de estabilizar.

Epidemias de gripe têm sido registadas desde a antiguidade mas, só a partir do século XIX é que foram registadas com fiabilidade. 1889, 1918, 1957 e 1968 foram anos dominados pela pandemia de influenza. Em 1968, morreram 700 000 pessoas em todo o mundo devido à gripe de Hong Kong (a menos mortal de todas). A gripe espanhola, ou pneumónica, terá morto entre 35 e 100 milhões (não há consenso entre os estudiosos da matéria), entre estes contavam-se muitos jovens adultos que normalmente resistem melhor às epidemias.

As epidemias conhecidas comportaram-se como ondas. Chegavam e partiam. Em 1918, a gripe espanhola, teve uma primeira vaga, na Primavera, pouco virulenta. No outono, chegou a segunda vaga, essa sim, verdadeiramente letal que foi, depois, seguida em 1919, por uma terceira relativamente, menos severa.
Os peritos especulam que a baixa letalidade da primeira vaga se deveu ao facto de o vírus não estar ainda totalmente adaptado à espécie humana. À medida que se adaptou tornou-se mais letal. Contudo, há boas evidências de que as pessoas que estiveram expostas ao vírus, na primeira vaga, criaram imunidade.
Esta é uma explicação para o facto de que apenas 2% dos que estiveram expostos ao vírus, em 1918, morreram. A mortalidade foi mais elevada em comunidades muito isoladas que não tiveram qualquer contacto com vírus deste tipo.
Fonte: New York Times

Não deixa de ser curioso como o Homem no século XXI, por detrás de toda a sua tecnologia se sinta tão vulnerável perante a doença. E mais uma vez, vem acode à memória, O Sétimo Selo. Na Idade Média (como na antiguidade), as epidemias eram explicadas pela intervenção divina. A ideia da epidemia como castigo. No mui avançado século XXI, a intervenção de Deus foi relegada para um segundo plano e, por cada epidemia surge uma teoria conspiratória. Já assim era no passado, o boato acompanhou as epidemias de doenças e até as grandes epidemias de medo (séc. XVII). Transcrevo um dos comentários publicados no Público que é revelador de que as teorias conspiratórias estão em marcha:
"Daqui a umas semanas o Obama acusa o irão de bioterrorismo e começa outra guerra! É sempre a mesma finta!! A CIA lança o virus no méxico e culpam alguém ... a CIA planeia o 11 de setembro e culpa alguém...é SEMPRE IGUAL!! ACORDEM!!"

____
O SNS preparado...
...mas ainda não há casos registados...
nível 5 de alerta...

terça-feira, 28 de abril de 2009

Venham a nós as criancinhas

"O Ministério da Educação pediu a uma escola do primeiro ciclo de Castelo de Vide autorização para filmar crianças a utilizar o Magalhães.[...]

Mas o produto final da consulta acabou por ser emitido num tempo de antena do PS na RTP, na passada quarta-feira. Os encarregados de educação já pediram explicações à escola." in, Público

"O primeiro-ministro e as ministras da Saúde e da Educação entregam hoje os primeiros cheques-dentista a alunos com sete, dez e 13 anos, uma medida que deverá abranger 200 mil crianças e custará 15,2 milhões de euros." in, Público
Em marketing as crianças são usadas para chegar ao bolso dos pais. Em política para chegar ao voto. Seduz uma criança e terás dois potenciais eleitores. Desde há meses que este jogo de sedução se tornou patente. A distribuição dos famígerados Magalhães foi uma boa oportunidade, os diplomas, os cheques aos bons alunos e agora, os cheques-dentista. Tudo boas razões para mostrar serviço, aparecer nas televisões e, nos tempos de antena (!?). Perdeu-se definitivamente, a compostura!

Ciber-informação em tempos de gripe

Clique na imagem para ver mapa interactivo

A gripe suína tornou-se um dos temas mais procurados no Google. Nos últimos dias, logo que se tornaram públicas as preocupações, a blogosfera procurou respostas online para esta nova ameaça global. Esta imagem, ilustra bem a reacção dos internautas:

O papel da internet em situações de crise poderá ter aqui mais um teste. No passado, em situações análogas o boato causou muitas vítimas e estragos. Ora, a internet com tudo o que tem de bom, em matéria de partilha de conhecimento, pode ser presa fácil do alarmismo e, do boato.
***
Mas "... o facto é que existem ainda muitas interrogações sobre este vírus. Uma delas, como diz Keiji Fukuda, é por que é que está a fazer mortes no México (150) e não nos Estados Unidos ou noutros países, onde as pessoas afectadas têm uma doença moderada." in, Público

Da resposta a esta pergunta poderá depender o real perigo desta nova infecção. O ministro da Saúde mexicano tenta responder a esta pergunta, aqui.
___
Confirmam-se dois casos em Inglaterra...
... e em Portugal... não há casos de gripe mexicana em Portugal, diz a ministra...

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sétimo Selo (1957)



Não, não me interpretem mal, não quero ser alarmista ou pessimista sequer. Mas, depois das notícias sobre a gripe mexicana, depois de ler o El Universal, e os títulos dos jornais por esse mundo fora, não pude deixar de pensar num grande filme que tem precisamente como pano de fundo uma sociedade em crise que luta desesperadamente para sobreviver à Peste Negra. O encontro entre o Homem/cavaleiro e a morte e, a intemporalidade da condição humana nas suas manifestações mais sublimes e mais grotescas, a relação do Homem com Deus e com a Morte... um filme imperdível!

Pandemia ameaça recuperação económica

Os receios pandemia já se fazem sentir nos mercados mundiais. Estes artigos reflectem essa preocupação:
"Aunque aún es muy pronto para evaluar los efectos económicos del brote de gripe porcina, que ha causado la muerte de más de 100 personas en México y ha infectado a otras 20 personas en EEUU, ya ha causado el temor a que alargue la actual situación de recesión mundial."in, El Mundo

"An outbreak of swine flu dampened tentative hopes for the global economy, sending markets lower on Monday and analysts fear a possible pandemic could force countries further into recession." in, Reuters

European and Asian travel stocks were hit hard on Monday as investors got their first chance to react to news of the outbreak of deadly swine flu in the Americas." in, Financial Times
___
Ver também aqui, aqui.

As duas faces da gripe porcina

Clique na imagem para aceder a mapa interactivo
Quase todos os que morreram no México devido à nova estirpe do virus da gripe têm entre os 20 e os 40 anos ( contam-se, até à data, 103 mortos). Nos EUA, as vítimas estavam na faixa etária entre os 9 e os 50 anos. Em todos os casos recuperaram embora, pelo menos dois pacientes precisassem de ser hospitalizadas.

A grande preocupação que este surto de gripe gerou deve-se em parte ao facto de a gripe ter sido fatal para tantos jovens-adultos (o que é a marca das piores epidemias). Geralmente, as mortes devidas à gripe ocorrem sobretudo, entre os mais jovens e os mais idosos.
Uma das questões que está a intrigar os cientistas é o facto do virus se comportar de modo diferentes no México e, nos EUA.
As autoridades sanitárias do México parecem não ter certezas sobre o ponto da situação: está a diminuir ou, continua a propagar-se e a infectar novas vítimas? Qual a real letalidade do vírus?

As gripes normais matam em média 1% dos infectados. No México, 70 mortes em aproximadamente 1000 casos representa uma taxa de mortalidade de 7%. Comparativamente à gripe espanhola (1918-19), que terá tido uma taxa de mortalidade de 2,5% (40 milhões de mortos).

Enquanto não se consegue responder, à questão da diferença de comportamento do vírus dos dois lados da fronteira, vai-se especulando:

-a melhor alimentação daria aos americanos mais defesas imunológicas e fá-los-ia menos susceptíveis à doença;

-a qualidade do ar no México é terrível, também isso, poderá contribuir para uma maior mortalidade;

-a diferença no acesso e qualidade nos cuidados de saúde poderia ser uma explicação...

Como se vê nesta fase há mais interrogações do que respostas.
____
Por cá, teremos de nos preparar para receber esta indesejável visita... que entretanto já chegou a Espanha.
...entretanto, ao nível da UE...

Do México para o Mundo



Um rápido olhar pelo espaço aéreo Norte americano. Uma animação que reconstitui o mundo agitado da aviação apenas, no espaço dos EUA (ver aqui imagens de alta definição). Cada tipo de voo transformado numa linha, numa cor. Percebe-se bem, a dificuldade de conter uma epidemia nos dias de hoje. No passado, as epidemias eram contidas pelo isolamento geográfico hoje, a velocidade com que se podem propagar é estonteante.
Por isso, o recente surto de gripe "mexicana" tornou-se rapidamente numa preocupação internacional. Nos dias de hoje, em caso de pandemia, é uma questão de tempo até que se anuncie o primeiro caso em Portugal.

domingo, 26 de abril de 2009

Gato em telhado de zinco quente



A entrevista de Vital Moreira ao Correio da Manhã. Alguém a classificou como uma chantagem sobre o eleitorado. De facto, Vital Moreira joga a cartada da instabilidade governativa sobre a possibilidade da perda de maioria absoluta. Trata-se obviamente de uma dramatização. Está a fazer o seu papel de independente (quase) completamente alinhado, aliás, mais alianhado do que muitos e ilustres militantes do PS. A questão Barroso continua a ser a mais incómoda. E , encurralado entre as sensibilidades do PS, Vital Moreira, acha-se mesmo na obrigação de dizer que não é militante do PS.
Mas Barroso está longe de ser o único problema de Moreira. As candidatas que se apresentam nessa dupla qualidade às Europeias e às Autárquicas e, o referendo ao Tratado de Lisboa são igualmente pontos de fricção entre o Vital bloguista e, o Vital candidato.

Quem tem medo do ...?


Historieta contada pelo Público:
"Uma jornalista pergunta se se pode aproximar e fazer uma pergunta. “Claro, eu não mordo”, responde Sócrates sorridente.
“Não morde mas rosna. E às vezes rosna muito”, replica-lhe ela em voz alta. O primeiro-ministro fica atrapalhado, responde que não é bem assim, ainda a rir, sem saber muito bem o que fazer, mas ela insiste com o “rosnar”."

Ora, quem não quer ser lobo não lhe veste a pele. Sócrates não tem de que se queixar. Os critérios que presidiram aos processos que instaurou contra jornalistas são no mínimo questionáveis... e, o misto de impaciência e agressividade com que responde às suas perguntas é, também, significativo de um certo estado de espírito.

S. Nuno de Santa Maria

O gram Condestabre
Em seu mosteiro
Dá-nos sua sopa,
mai-la sua ropa,
mai lo seu dinheiro

A bençom de Deos
Cahio na Caldeira*
De nunoalvares Pereira,
Que abondo cresceo
E todo-lo deo.

Se comer queredes
Nom bades alem:
Don menga non tem,
Ahi lo comeredes,
Como lo bedes.

[Trovas populares]
CORDEIRO, Pe. Valério Aleixo,
Vida do beato Nuno Alvarez Pereira : santo condestavel
Lisboa, 1919


D. Nun' Álvares Pereira foi generosamente, compensado por D. João I. Entre as muitas terras que recebeu, contam-se aquelas que tinham pertencido ao judeu David o Negro, que se situavam no actual concelho de Seixal. Depois da sua morte, parte das terras que possuía na região passaram para a posse da ordem dos carmelitas - caso de "Pinhal de Frades".

A Biblioteca Nacional disponibiliza online um conjunto de obras bibliográficas e iconográficas, sobre o novo santo, que podem ser vistas e folheadas, aqui.
____
* alusão à caldeira (panelão de ferro) que Nuno Alvares Pereira tomou aos castelhanos, em 1385, e que pôs ao serviço do convento do Carmo.
...a "compaixão e o despojamento" do Santo Condestável

sábado, 25 de abril de 2009

As faces da Liberdade


Liberdade triunfante, essa mulher desnudada que guiando os povos se transforma em República, para, anos depois, voltar a surgir, em Portugal, como criança frágil, graciosa, apoiada pelas armas, pelos braços viris dos militares que, presumivelmente, a guiarão, agora, a ela, criança inocente. Mas, como se "guia" uma criança. E durante quanto tempo?

É por isso que estranho o desencanto dos "pais" da revolução de Abril. As crianças, crescem a assumem nas mãos o seu próprio destino. O papel dos capitães de Abril foi o de dar ao povo a Liberdade vital de poder escolher o seu caminho. O erro, de alguns desses capitães, foi o de pensar que poderiam tutelar as escolhas e, mesmo, determiná-las.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

A imagem do vencedor

A capa da Whashingtonian está a gerar polémica...
Os governantes de todas as épocas e, lugares procuraram impressionar pela sua boa forma física, num jeito muito humano, de exibirem o "macho alfa" que os habita. Antes entre o governante e os "governados" havia um pedestal, um cavalo, algo que os elevava acima do comum dos mortais.
Os governantes de hoje, deixam-se fotografar em actividades banais para melhor se identificarem com o seu eleitorado mas, hoje como ontem, continuam a atrair as atenções para as suas qualidades de liderança.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

A vertigem dos números

"No final do mês de Março de 2009, o número de desempregados inscritos, nos Centros de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, ascendia a 484 131, representando 86,1% de um total de 562 422 pedidos de emprego." in, Informação Mensal do Mercado Emprego - Março 2009
A crise económica tem devorado o mercado de emprego. Os números são mais preocupantes a cada dia que passa e o que se vê, o que se sente em cada medida anunciada pelo governo é uma auto-condescendência confrangedora. O governo, a despeito as medidas anunciadas em cada entrevista, em cada debate mensal parece não ter uma estratégia. Navega à vista nas águas da crise que se abateu sobre o capitalismo internacional.

Relativamente a esta crise, Portugal está, para o melhor e o pior, na enorme barca da globalização. Não vale a pena tentar escapar, nem esconder. Ninguém pode decretar o fim da crise isso, está decididamente fora das capacidades dos nossos governantes. Mas, importaria ter uma estratégia clara, caso contrário dá a sensação de estarmos a deitar dinheiro sobre os problemas sem os resolver. De facto, estes números escondem pessoas e os seus inúmeros dramas pessoais. A realidade do desemprego reflecte-se em toda a sociedade. Escolas, hospitais, igreja, instituições de solidariedade social todos estão preocupados com a dimensão que a pobreza está a assumir. Até agora, apesar do aumento da insegurança, a conflitualidade social tem sido relativamente baixa mas, isso poderá modificar-se à semelhança do que tem acontecido em França *. No mesmo contexto de crise os espanhóis começam a vender os seus órgãos na internet ... e por cá? Até onde chegará o desespero?

Os números deste relatório são maus. Pergunto, porque sairam tão tarde? O facto de terem saído só hoje, depois do debate quinzenal, foi coincidência? Ou, ter-se-à querido preservar o PM do incómodo dos números? Do incómodo da avaliação das medidas avulso que têm sido anunciadas com pompa e circunstância?

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Mais uma vítima....

da crise económica ...
"A múmia de Lénine, que se encontra exposta ao público no mausoléu da Praça Vermelha da capital russa, não mudou de fato devido à crise económica, embora esteja a precisar disso há alguns anos, escreve hoje o diário Trud.

Os especialistas que olham pelo estado da múmia do dirigente da revolução comunista na Rússia, em 1917, queixam-se de que nem sequer há dinheiro para os trabalhos de embalsamamento [ver, aqui], a que Lénine tem que ser sujeito anualmente." in, Expresso

Da deontologia


José Sócrates, entrevista à RTP1 e a propósito do alegado abuso de liberdade de imprensa, e perseguição pessoal por parte da TVI :
"... o director do DN, por exemplo, foi o único que fez essa denúncia isto abona muito em favor dele, porque realmente o jornalismo português ao aceitar estes comportamentos também não se está a ... respeitar os códigos deontológicos dos jornalistas."
Do Editorial do DN, de hoje:
"[...] Sócrates aproveitou a insistência dos entrevistadores para brilhar, e mandar mais recados para Belém: o mais importante, para dizer que espera que o Presidente não faça o jogo da oposição. [...]"
Não há coincidências: à noite Sócrates elogia João Marcelino, pela manhã, Marcelino retribui com um brilhozinho ... só é pena, que estas coisas, sejam por assim dizer, encapotadas. O apoio explícito seria mais ... deontológico.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Redondo, vazio, em tons de rosa

Pareceu-me que esta imagem é ilustrativa do discurso de Sócrates relativamente aos problemas do país: redondo, vazio, em tons de rosa.
O alargamento do subsídio social de desemprego é um paliativo para a crise mas, não passa disso. Já o TGV reflecte uma teimosia tipicamente socrática. De facto, em tempos que se pensavam de "vacas gordas" era possível pensar no TGV como mas, agora em tempos de crise as dúvidas justificam-se. E nem, a consulta do site do Ministério das Obras Públicas as dissipa facilmente, ao contrário, daquilo que o PM quis fazer transparecer.
Vejamos esta apresentação que dá pelo sugestivo nome de "Análise Custo Benefício" é esclarecedora. Trata-se de um documento, em inglês, composto por vinte diapositivos ... Numa outra apresentação (nem todas se conseguem descarregar e abrir) aponta-se, como vantagem da linha de alta velocidade, a redução do tempo de viagem Lisboa-Porto alvitrando-se a possibilidade de residir numa cidade e trabalhar noutra. A que custo?
Em tempo de crise espera-se mais. A convicção de Sócrates de que o TGV terá um impacto positivo não chega.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Depressa e bem não faz ninguém

"A proposta sobre sigilo bancário apresentada pelo Bloco de Esquerda (BE) e viabilizada na generalidade pelo Partido Socialista (PS) na semana passada no Parlamento, tal como está, vai levar a que apenas os contribuintes individuais tenham as suas contas bancárias sob escrutínio do fisco. As empresas, pelo contrário, ficarão com um regime que as protege mais do que a lei actual, não podendo a Direcção-geral dos Impostos (DGCI) aceder às suas contas sem a autorização de um tribunal." in Público

Estas medidas, para além de deixarem os cidadãos mais desprotegidos perante a máquina administrativa não evitam nada daquilo a que se propõem: a corrupção, enriquecimento ilícito (nesta novi-língua a que o politicamente correcto obriga). Sim, em bom português, o que é o "enriquecimento ilícito"? Adiante. Os paraísos fiscais continuarão a existir e, o colchão será sempre um último recurso, tudo isto, nas barbas de uma legislação feita para aumentar as atribulações dos cidadãos cumpridores porque, como já se viu ,as empresas e os outros ficaram de fora.

A pressão da opinião pública. A pressão dos casos mediáticos. A pressão das eleições que se aproximam. Já se sabia que a pressa é inimiga da perfeição, mas isto é ridículo! E o ridículo mata.

A indiscrição


Para começar a minha declaração de interesses: considero Paulo Rangel um bom candidato. Irei votar nele.
Se esta notícia se confirmasse ficariam todos mal: João Jardim, que mais uma vez daria de si uma triste imagem; as candidatas, por aceitarem semelhante proposta; o PSD por se ter tornado refém de Jardim e, por estar pronto a contornar a lei da paridade de forma pouco lídima.
Ora, o que me parece é que se trata de um expediente de João Jardim para condicionar a formação da lista do PSD às europeias, obrigando-o a dar o almejado lugar ao candidato da Madeira. Como é evidente, Jardim sabia que a alegada negociata iria parar aos jornais, assim que ele abrisse a boca e, constituiria uma pressão sobre a direcção partido... veremos como fica este braço de ferro.
____
Actualização- entretanto, surgiu o desmentido:
"Visto que o nome de Sérgio Marques retrocedeu dois lugares na lista, em relação às últimas eleições europeias, Jardim apontou que tudo é "por causa da célebre Lei da Paridade" que obriga à inclusão de uma mulher por cada três homens. "No fundo, Sérgio Marques é o sexto, mas é obrigatório meter uma senhora pelo meio", referiu.
Jardim conclui: "Eu aceitei, concordei com o oitavo lugar e não vou dizer as razões". in, Público

... "prontos", está tudo esclarecido.
Claro, que a lei da paridade pode ser contornada de várias maneiras: veja-se o caso de Ana Gomes, candidata às europeias... e à Câmara de Sintra.

domingo, 19 de abril de 2009

Carreirismo



Mário-Henrique Leiria, de Contos do Gin-Tonic, 1973
(dito por Mário Viegas)

O surrealismo é mesmo isso. Uma fantasia levada ao extremo. Felizmente, que o carreirismo é apenas, e só, um exercício de literatura. Por isso, qualquer semelhança com a realidade é mera, repito, mera coincidência.

Redescobrir o passado no Terreiro do Paço

Obras no Terreiro do Paço
Portugal tem um imenso museu escondido no seu subsolo. Daí nasce o conflito entre o presente e o passado. Fazer uma intervenção que implique escavar significa desenterrar um vestígio de um passado mais ou menos distante. Pior, significa amiúde ter de alterar projectos, ter de adiar prazos e, com tudo isto, ter prejuízos (no curto prazo) de diversa ordem.

No ano passado, a câmara do Seixal optou por arrasar os Estaleiros da Fidalga, contra aqueles que, como eu, defenderam que toda a obra deveria ser acompanhada por especialistas, para evitar uma eventual destruição de património contudo, a câmara prosseguiu as obras indiferente a tudo e a todos. Interessante, que de então para cá, já realizou no local duas Feiras dos Descobrimentos, pelo que, implicitamente, reconheceu algo que na altura negou: a (provável) ligação daquele património aos Descobrimentos.

A notícia do Público, de hoje (link indisponível), revela a descoberta dos vestígios arqueológicos, na Praça do Comércio e, a reacção do empreiteiro (Teixeira Duarte) :
"Depois de verem afluir ao local de cada vez mais arqueólogos entusiasmados, com máquinas fotográficas, os operários agiram: na quinta-feira cerca das 21h00 arrasaram tudo, ainda sem terem licença do Igespar para o fazer."
Este, é mais um caso de património que necessita de ser estudado e que permitirá saber , até que ponto, as imagens que nos chegaram da Lisboa Antiga (anterior ao terramoto de 1755), com as suas estruturas portuárias são, ou não, fantasiosas.
Sabendo que a pressa é inimiga do património, espero que apesar dos prazos (abrir a Praça do Comércio ao trânsito automóvel e proximidade das eleições autárquicas) se possa , ainda, salvaguardar o património, agora, descoberto.

sábado, 18 de abril de 2009

"Portugal tem de ser qualquer coisa de asseado"



José de Almada Negreiros, na voz de Mário Viegas.

O número mágico: 3333



Missão: combate ao desemprego. Protagonista: Sócrates. Decididamente um filme de acção.
Isto de ser protagonista de um filme destes em época de crise é difícil, envolve muita actividade física. No final, missão cumprida?
Veja as imagens e, retire as suas conclusões.
____

E mais uma notícia preocupante: Autoeuropa quer entrar em 'lay-off' durante um ano
É por isso que na corrida para as Europeias, nós portugueses teremos que discutir também as questões nacionais.

E à Justiça disse NADA

"José Sócrates recusou depor no processo Portucale. A resposta foi dada pelo 1.º ministro ao Conselho de Estado – visto que, segundo a legislação, o Conselho (a que Sócrates pertence) é obrigatoriamente consultado quando algum dos seus membros é instado a depor em processos judiciais. [...] Sendo certo também, [...], que são muito raros os casos em que os conselheiros recusam aceder aos pedidos dos tribunais."
in, Sol
Correndo o risco de fazer julgamentos precipitados e, à luz do muito que tem vindo a ser dito, sobre este caso e outros, esta notícia deixou-me ... sem comentários.

Angústia para o jantar

Transparência - Lauren Vioers
"O Banco de Portugal reviu hoje em baixa a previsão para a evolução da actividade económica em 2009, antecipando agora uma contracção de 3,5% no Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o boletim económico de Primavera, a economia portuguesa deve deteriorar-se este ano, depois de ter estagnado em 2008, contraindo-se 3,5% em 2009." in, Expresso
Perante este cenário, vai continuar tudo na mesma? Seguimos teimosamente a rota traçada e, fingimos-se que a crise não mora aqui? Bem perguntou, Manuela Ferreira Leite:
«Com tantas medidas anunciadas, com tantos milhões lançados sobre a economia, ou as medidas não passaram de anúncios ou não produziram efeitos porque foram mal executadas.
Quais os montantes exactos que estão em causa para cada um dos sectores considerados? Quais os critérios de atribuição dessas ajudas? Quais os efeitos reais dessas ajudas nas empresas? Quais as consequências destes pacotes financeiros no endividamento, no orçamento e na situação do país.
Quem nos informa sobre isto
Exige-se pois, realismo e transparência.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

O Freeport na imprensa inglesa

"[...]It was built by a British property firm Freeport, now being investigated over bribery allegations, and was opened by the Royal couple in September 2004.

The Serious Fraud Office in London is probing claims that four million euros were transferred to banks in Portugal to facilitate the deal.

The inquiry has engulfed several British businessmen and Portugal's Prime Minister Jose Socrates, who has denied taking bribes from Freeport.[...]"

in, Daily Mail

___

... e ainda: Algarve Residente (de 9 de Outubro)

... crónica de mais uma sexta-feira negra, agora com som e imagens...

Notas da crise


"Uma recessão global e sincronizada é maior e mais profunda do que as recessões comuns e a sua combinação com uma crise financeira, como a que se vive, resultará provavelmente numa recessão particularmente profunda e duradoura, escreve o Fundo Monetário Internacional (FMI)" in, Público
Esta é certamente uma notícia indesejável e que não pode deixar de nos preocupar. Mas, olhando para a situação catastrófica em que se encontra o Zimbabué não podemos deixar de considerar que estas notícias são, apesar de tudo, menos más. É uma questão de perspectiva.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Manobras na Geórgia

"Russia's foreign minister criticized on Thursday NATO's plans to conduct exercises in Georgia, saying they could give the Georgian regime a sense of impunity, and raise tensions in the Caucasus region." in, Ria Novosti

"The exercises, which have been planned since the spring of 2008, will involve about 1,300 people from 19 Nato and partner countries and will be held at a training centre 20 kilometres (12 miles) east of Tbilisi. The military alliance said in a statement that the exercises had the "aim of improving interoperability between Nato and partner countries." in, Telegraph

As tensões na região estão longe de ter acalmado. A Rússia diz ter estacionado 7 600 homens na Abecásia e Osséssia do Sul mas, a Geórgia estima o número em cerca de 12 000. Algumas destas tropas foram deslocadas para uma área próxima da fronteira com a Osséssia do Sul (a c. de 60 km de Tbilisi) em vésperas das manifestações. Por outro lado, Moscovo, anunciou, em Janeiro, planos para a construção de uma base naval na costa da Abecásia e, avisou que aplicaria sanções aos países que fornecessem armas ou assistência militar à Geórgia.

Ora, este exercício que deverá decorrer entre 6 de Maio e 1 de Junho, na Geórgia, é um teste à determinação da aliança, tanto mais que , na última semana, o governo georgiano tem enfrentado, nas ruas de Tbilisi, os manifestantes que pedem a demissão do presidente Saakasvili.

Há um ano a NATO proclamou que a Ucrânia e a Geórgia seriam no futuro membros da NATO, uma posição que os seus líderes reafirmaram já depois da "Guerra Olímpica", tal como reafirmaram que não dariam à Rússia o direito de escolher os membros da aliança. A contestação de Moscovo aos exercícios na Geórgia era certa, nem poderia ser de outro modo. Tal como é certo que a NATO terá de cumprir o calendário sob pena de perder a sua credibilidade na região... para a Geórgia, a Nato é um garante dos seus sonhos de independência e de democracia.