terça-feira, 16 de setembro de 2008

Os bolos que o diabo amassou

Á primeira vista parece uma olaria. Na realidade, trata-se de bolos de argila que os haitianos comem para enganar a fome.

O Haiti depende das importações de alimentos. A agricultura quase não existe. A desflorestação (queimadas) tornou o solo improdutivo. Há comida mas não há dinheiro para a comprar (os preços duplicaram). Por isso recorrem a estes "bolinhos" que antes apenas faziam parte da dieta das grávidas em busca de cálcio.

A escassez de cereais e o aumento dos preços dos combustíveis está a trazer o espectro da FOME.

Nos países ricos o aumento do peso da factura dos alimentos faz-se sentir numa redução de produtos de segunda ou terceira necessidade. Mas, no terceiro mundo, vivia-se já no limite e, agora, o aumento dos preços veio agudizar uma situação que já era de carência.

____________
Este texto, escrito há cerca de um mês, reflectia a situação alimentar no Haiti. Agora, depois das tempestades, a crise alimentar é mais premente ainda. Mas, nem sempre foi assim no Haiti:
"[...]Less than two decades ago, Haiti was almost self-sufficient in rice production. In the mid-1990s, the country slashed tariffs on imported rice in response to pressure from the World Bank and the International Monetary Fund.
As a result, cheap subsidized rice from the United States came to dominate the market, causing national production to plummet, according to a report in June by the British-based aid agency Oxfam."
in, Reuters
Os números da fome no mundo.

2 comentários:

joão severino disse...

Qualquer dia Portugal sobreviverá com bolos de argila...

Anónimo disse...

Os portugueses dos outsourcings pagos a 500 €/mês, colocados nas empresas com administradores pagos a 50.000 €/mês (em mercados onde não há concorrência ainda por cima!) já devem estar mentalizados para se submeterem a uma dieta de argila...